Recuperação das Capelas da Igreja Matriz de Machico

Programa/ Eixo/ Prioridade de Investimento: Programa Operacional da Região Autónoma da Madeira (Madeira 14-20)/ Proteger o ambiente e promover a eficiência de recursos/ A conservação, proteção, promoção e o desenvolvimento do património natural e cultural

Nome do Beneficiário: Secretaria Regional da Eonomia, Turismo e Cultura

Fundo Comunitário: FEDER

Região de Intervenção do Projeto: Região Autónoma da Madeira

Custo Total do Projeto: 185.090,28 €

Custo Elegível do Projeto: 183.028,37 €  

Comparticipação Comunitária: 155.574,12 €

Comparticipação OR: 27.454,25 €

Início Previsto: 19-02-2016

Fim Previsto: 30-04-2018

Descrição do Projeto (Objetivos, resultados esperados...): A Igreja Matriz de Machico (N. Senhora da Conceição), construída no século XVI, faz parte das primeiras igrejas erguidas na Região. É um importante testemunho da história da Madeira e da capacidade técnica e artística de uma época. O Rei D. Manuel foi um dos grandes benfeitores desta igreja, tendo oferecido as colunas de mármore branco do portal sul e várias peças de arte para o seu interior. Após uma vistoria à igreja, para a atualização da informação sobre o seu estado de conservação, solicitou-se a uma equipa de engenheiros especialistas o desenvolvimento do projeto de consolidação e reforço das abóbadas. Este projeto servirá como base para o concurso de intervenção de recuperação das abóbadas de cantaria das duas capelas laterais norte.
A recuperação das abóbadas nervuradas das capelas do Espírito Santo e de São João, encerradas desde 2005 devido ao seu estado de conservação, tem como objetivo a sua abertura ao público a fiéis e visitantes e o regresso do espólio artístico ao seu interior. As capelas apresentam elementos raros e insubstituíveis na arquitetura insular, abóbadas nervuradas, uma em cantaria e tijolo e a outra apenas em cantaria, representativos da sua importância a nível regional. A sua recuperação permitirá a total fruição desta igreja classificada como Imóvel de Interesse Público desde 1940, sendo uma mais-valia para o património cultural da Madeira.